Bem vindo ao Arinos Notícias, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2018
Noticia
     
9 de Outubro, 2018 - 08:43
Conheça os perfis de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad

Bolsonaro tem quase 3 décadas de vida parlamentar; Haddad tem uma relação estreita com a academia, foi prefeito e ministro da Educação. Já começando o aquecimento para o segundo turno das eleições 2018, vamos conhecer melhor os perfis dos presidenciáveis que vão disputar o maior cargo do país. Jair Bolsonaro (PSL), recebeu 46% dos votos válidos neste primeiro turno; e Fernando Haddad (PT), recebeu 29,3% dos votos válidos no primeiro turno.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral – TSE, quase 30 milhões (20,3%) de eleitores não compareceram às urnas neste primeiro turno. E esses eleitores podem ser decisivos na escolha do futuro presidente do país.

Pensando nesses eleitores, segue um perfil da vida política dos dois candidatos que vão se enfrentar nesse segundo turno.

Jair Bolsonaro, tem 63 anos de idade, é capitão da reserva do Exército e mudou sua atuação parlamentar ao longo de 26 anos no Congresso Nacional.

Quando chegou a Brasília, no início da década de 1990, seu foco era atender aos interesses de militares, sua primeira base eleitoral. Nos últimos anos, porém, ele ampliou seu olhar para a área de segurança pública, uma das mais vulneráveis do País e de maior apelo nas urnas.

Em quase três décadas na Câmara dos Deputados, Bolsonaro apresentou 171 projetos de lei, de lei complementar, de decreto de legislativo e propostas de emenda à Constituição (PECs).

No primeiro mandato, entre 1991 e 1995, foram 17 projetos de interesse de militares, ante apenas dois na área de segurança pública. Na atual legislatura, iniciada em 2015 e com término previsto em 2019, são nove propostas para a segurança e somente três para o setor militar. Entre 2011 e 2015, na legislatura passada, o deputado apresentou 13 propostas na área de segurança, ante duas militares.

Apenas três projetos foram ligados a temas econômicos - entre eles o que propõe autorizar a dedução do Imposto de Renda das despesas comprovadamente efetuadas com empregados domésticos - e dez na área de saúde - como o que determina a proibição do aborto em casos de estupro. Para educação foi somente uma proposta, apresentada no primeiro mandato, a fim de conceder desconto progressivo em taxas e mensalidades escolares para famílias de militares com mais de um filho.

Até hoje, o deputado teve aprovados dois projetos. Viraram lei uma proposta que estendia o benefício de isenção do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para bens de informática e outro que autorizava o uso da chamada “pílula do câncer” - a fosfoetanolamina sintética. A primeira emenda de sua autoria, aprovada em 2015, determina a impressão de votos das urnas eletrônicas.

Confira mais alguns dos projetos com autoria de Jair Bolsonaro:

- PEC 191/2016 Acresce parágrafo único ao art. 88 da Constituição Federal, para determinar que o Ministro da Defesa seja escolhido entre os Oficiais Generais das Forças Armadas.

- Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 18/2015 Ficam sustados os efeitos do inteiro teor das Resoluções nº 11, de 18 de dezembro de 2014, e nº 12, de 16 de janeiro de 2015, do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT), da Secretaria de Direitos Humanos, ambas publicadas na Seção 1 do Diário Oficial da União nº 48, de 12 de março de 2015. As Resoluções garantem o uso de nome social para travestis e transexuais nos Boletins de Ocorrência e também nas instituições de ensino.

- PL 443/2015 Denomina "Mar Presidente Médici - Amazônia Azul" a Zona Econômica Exclusiva brasileira, faixa que se estende das doze às duzentas milhas marítimas, contadas a partir das linhas de base que servem para medir a largura do mar territorial.

- PL 106/2007 Acrescenta inciso ao art. 1º da Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe sobre os crimes hediondos. O texto Inclui como crime hediondo o roubo de veículos automotores.

- PL 4273/2001 Altera a Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996, que "dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígenos, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias, defensivos agrícolas, nos termos do § 4º do art. 220, da Constituição Federal", para proibir o consumo de bebidas alcoólicas em aeronaves comerciais. Proíbe uso de bebidas alcoólicas nos aviões.

- PL 3662/2000 Concede anistia de multas aplicadas a militares com base no art. 15, inciso I, "e", da Lei nº 8.025, de 12 de abril de 1990. Anistia as multas aplicadas aos militares por irregularidades na ocupação de imóveis funcionais.

- PL 2341/1996 Dá nova redação ao "caput" e acrescenta parágrafo 1º ao artigo 30 da Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971, que "dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais, e dá outras providências". O texto admite o uso de palmas como forma de homenagem após o final da execução do hino que estiver sendo executado, com a presença da bandeira nacional.

- PL 1736/1996 Proíbe o uso de vocábulos estrangeiros na identificação de estabelecimentos comerciais, bem como nos anúncios e nos rótulos de mercadorias.

- PL 1323/1995 Dispõe a instituição do Dia do Detetive Profissional. - PDC 365/1993 Torna sem efeito o Decreto de 25 de maio de 1992, que homologa a demarcação administrativa da terra indígena Yanomami nos estados de Roraima e Amazonas.


Fernando Haddad tem 55 anos, cabelos grisalhos, 1,83 metros e uma personalidade que lhe obriga a andar com uma aparência impecável. Foi prefeito, ministro, professor universitário, é doutor em Filosofia, mestre em Economia, foi presidente de Centro Acadêmico e vendedor de tecidos.

Disputou um cargo público, pela primeira vez, em 2012, quando se elegeu Prefeito de São Paulo, mas sua vida pública começou em 2001/2003, quando foi Chefe de Gabinete da Secretaria de Finanças da capital paulista na gestão de Marta Suplicy. Depois passou a assessor especial do Ministério do Planejamento.

Começou a se tornar conhecido mesmo como ministro da Educação, cargo que ocupou nos governos Lula e Dilma Rousseff, entre 2005 e janeiro de 2012. Como ministro, rodou o país em inaugurações de obras da área de educação e dava palpites sobre o setor. À frente do MEC, Haddad conseguiu a adesão de todos os 27 governadores e mais de 5,5 mil prefeitos às metas básicas da educação. E na época repetia constantemente no ministério: "É proibido ter partido aqui. Educação é uma política de estado".

Fã da academia, escreveu cinco livros, todos de cunho socialista, base na qual firmou sua formação: "O Sistema Soviético", "Em Defesa do Socialismo", "Desorganizando o consenso", "Sindicatos, cooperativas e socialismo" e "Trabalho e linguagem."

Ações de Haddad como prefeito de São Paulo:

1- Construiu 3 UPAs e deixou 12 em construção, antes de sua gestão, São Paulo não possuía nenhuma;

2- Recuperou mais de R$ 278 milhões desviados em esquemas corrupção para o cofre da cidade;

3- Construiu 33 hospitais Dia da Rede Hora Certa;

4- Construiu 3 hospitais gerais;

5- Construiu mais de 400 creches, a ponto de quase zerar a fila de espera;

6- Construiu universidade nos CEUs com o UniCEU;

7- Criou um órgão de auditoria independente;

8- Deu passe livre a 700 mil estudantes;

9- Reduziu a dívida do município para MENOS DA METADE, sendo o primeiro prefeito da história da cidade a entregar uma dívida menor do que recebeu.

10- Levou a Virada Cultural para periferia;

11- Aumentou o Piso Salarial dos professores;

12- Acabou com a máfia do ISS;

13- Primeiro Plano Municipal de Cultura da cidade;

14- Reduziu as mortes no trânsito, com medidas como a redução de velocidade nas marginais;

15- Mais de 140 praças com Wi-Fi;

16- Aprovou o plano diretor, premiado internacionalmente e elogiado pela ONU;

17- Construiu mais de 400km de corredores e faixas de ônibus;

18- Entregou 400km de ciclovias;

19- Centenas de ônibus com Wi-fi, ar-condicionado, carregador de celular e de bilhete único;

20- Bilhete Único Mensal;

21- Sancionou a lei que obriga a inclusão de alimentação orgânica nas merendas das escolas municipais;

22- Instalou Fab Labs na cidade, oferecendo à população acesso a computadores com internet e impressoras 3D, além de professores para ensinar como operar os equipamentos.

Ações de Haddad como Ministro da Educação:

23- Criou o Programa Universidade para Todos (ProUni), democratizando o acesso à universidade para estudantes de baixa renda e inseriu mais de 1,5 milhão de jovens no ensino superior;

24- Fortaleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies);

25- Criou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para avaliar a qualidade do ensino nas escolas públicas no país;

26- Foi aprovada a Lei nº 11.738/2008, que fixou um piso salarial para todos os professores de escolas públicas da educação básica;

27- Expandiu e interiorizou o ensino superior;

28- Criou 18 novas universidades federais;

29- Criou 173 campus universitários;

30- Criou 360 unidades dos institutos federais;

31- Implementou o Enem e posteriormente o Sisu;

32- Em 10 anos, entre 2001 e 2010, o crescimento no número de matrículas no ensino superior foi de 110%;

33- O número de alunos entre 2003 a 2014 aumentou de 505 mil para 932 mil;

34- Lançou o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), por meio do PDE, houve a expansão de creches, pré-escolas e escolas técnicas;

35- Pelo PDE, houve a ampliação do número de vagas nas universidades federais e a formação de mestres e doutores, atingindo a marca 11 mil doutores formados e 30 mil mestres;

36- No que se refere ao analfabetismo, houve queda de 11% para 8,6% entre 2005 e 2011.

Fonte: muvucapopular
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
23/10/2018
22/10/2018
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2018 - Arinos Notícias