Bem vindo ao Arinos Notícias, Domingo, 18 de Novembro de 2018
Noticia
     
8 de Novembro, 2018 - 09:45
Selma diz que corpo técnico da Famato será extensão do seu gabinete no Senado

A Senadora eleita, Selma Arruda (PSL) declarou que vai fazer do corpo técnico da Famato a extensão do seu gabinete em Brasília. Selma e o deputado federal eleito, Nelson Barbudo, também do PSL, visitaram a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso e se reuniram com a diretoria e corpo técnico da Federação para tratar de pautas relacionadas ao agronegócio e ao desenvolvimento de Mato Grosso. 


Na visita, foram apresentados os números do campo em Mato Grosso. Selma é juíza aposentada, mas tem como primeiro suplente Gilberto Possamai que é representante do agronegócio. Barbudo se apresenta como agricultor e também engrossa a fileira dos defensores do setor. 


O presidente da Famato Normando Corral, considerou, na ocasião, que só será possível estimular a produção agropecuária de Mato Grosso e do Brasil se os produtores estiverem organizados e com uma estrutura de articulação política alinhada. "Por isso, é importante termos representantes fortes e conscientes das suas responsabilidades com o setor produtivo rural", disse.


A senadora eleita disse ter ficado surpresa com os dados apresentados e a burocracia que atrapalha o desenvolvimento econômico e a geração de emprego e renda. "Munida de todas essas informações, vou fazer do corpo técnico da Famato a extensão do meu gabinete. São dados importantíssimos que vão me subsidiar nas tomadas de decisão e na minha atuação no Senado, em Brasília. Uma manhã vai ser pouco para tanta informação, dados que eu desconhecia, por isso já peço ao presidente, Normando Corral que nos disponibilize um dia inteiro para que eu e minha assessoria aprofundemos os conhecimentos sobre as potencialidades e os desafios que precisamos vencer. Uma vez superados, quem ganha é Mato Grosso e a sociedade", disse. 


São dados importantíssimos que vão me subsidiar nas tomadas de decisão e na minha atuação no Senado, em Brasília



Barbudo afirmou que vai trabalhar na Câmara Federal pela desburocratização do setor agropecuário, viabilidade, logística e investimentos. Reforçou também a importância da diversificação dos modais para a melhoria da logística no escoamento da produção mato-grossense e demonstrou preocupação em relação à rentabildiade do produtor rural. "Me coloco à disposição dos produtores, através do Sistema Famato, e de toda a cadeia produtiva do estado. Não só por ser agricultor, mas por acreditar que o agronegócio é a mola que impulsiona a economia do estado, gerando emprego, renda e qualidade de vida para a população".


A reunião também teve a participação dos diretores da Famato, Vilmondes Tomain (Administrativo e Financeiro), José Luiz Fidelis (Relações Institucionais) e Valdécio Rezende Fernandes (vice-diretor Administrativo e Financeiro).


Na oportunidade, o superintendente do Senar-MT, Otávio Celidônio, falou sobre o trabalho feito pela entidade para a formação profissional rural, atividades de promoção social, ensino técnico de nível médio e superior, assistência técnica e gerencial. "O Senar-MT vem contribuindo para a profissionalização, integração na sociedade, melhoria da qualidade de vida e exercício da cidadania, de milhares trabalhadores e produtores rurais, atendendo mais de 55 mil pessoas em Mato Grosso", disse Celidonio. 


Me coloco à disposição dos produtores, através do Sistema Famato, e de toda a cadeia produtiva do estado. Não só por ser agricultor, mas por acreditar que o agronegócio é a mola que impulsiona a economia do estado



Nelson Barbudo


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


Em seguida, o gestor do Imea, Paulo Ozaki, apresentou os dados da produção agropecuária e mostrou o perfil dos produtores rurais do estado. Mostrou também o ranking dos estados brasileiros na arrecadação do ICMS, sendo Mato Grosso o estado que mais arrecada o imposto per capita. Na ocasião, foram abordadas as oportunidades, os ambientes de negócios e os principais desafios do setor.


O analista de assuntos fundiários da Famato, Lino Amorim, apresentou a situação do Estado em relação às questões de regularização fundiária e demarcações de terras de comunidades tradicionais (indígenas e quilombolas). Em Mato Grosso são mais de 500 glebas públicas federais, equivalentes a 9 milhões de hectares. Desse montante, o Incra emitiu 22 mil títulos que correspondem a 50%. No entanto, no Estado ainda existem 4,5 milhões de hectares aguardando para serem regularizados.


Ao final do encontro o presidente Normando Corral apresentou a equipe da Famato, colocando a entidade à disposição para contribuir no que for necessário com dados, estudos técnicos e na elaboração de políticas públicas e legislações que garantam o desenvolvimento social e econômico de Mato Grosso e do país. 

Fonte: rdnews
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
08/11/2018
07/11/2018
 menos   4   5   6   7   8   9   10   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2018 - Arinos Notícias