Bem vindo ao Arinos Notícias, Quinta-Feira, 20 de Junho de 2019
Noticias
     
27 de Maio, 2019 - 10:57
Polícia procura Ilson Rosa de Oliveira, vulgo “neguinho” acusado de ser cumplice de esquartejamento em fazenda em Porto dos Gaúchos

O delegado de Polícia Civil Albertino Felix de Brito Junior, disse ao site que instaurou inquérito policial para apurar as circunstâncias da morte e esquartejamento da vítima ainda não identificada, que tinha o apelido de “Gordinho”, na fazenda Abacaxi nas proximidades da MT-338, “Estrada da Baiana” em Porto dos Gaúchos.

Um acusado que está preso é Ronaldo da Luz Felix, vulgo “Parazinho” de 40 anos. Ele teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva pelo juiz de direto da comarca de Porto dos Gaúchos no último dia 23 de maio.

O outro acusado, conforme Parazinho, é Ilson Rosa de Oliveira que tem o apelido de “Neguinho”, que está foragido e é procurado pela Polícia.

No crime, José Alves de Araújo vulgo “Lorão” foi baleado e conseguiu fugir e a vítima identificada apenas como “Gordinho”, foi morta e teve o corpo cortado em vários pedaços e jogados no rio.

O crime

Consta nos autos que o réu Ronaldo da Luz Felix, o Parazinho, que já está preso, e seu comparsa Ilson Rosa de Oliveira o Neguinho, que está foragido, tentaram contra a vida de José Alves de Araújo, o Lorão, e mataram e esquartejaram Gordinho.

Os 04 personagens do crime trabalhavam e moravam na Fazenda Abacaxi, e todos portavam armas de fogo cedidas pelo patrão com objetivo de proteção das terras. No dia dos fatos, dia 20 de maio/2019, Ronaldo da Lux Felix, vulgo “Parazinho” e Ilson Rosa de Oliveira, vulgo “Neguinho” foram fazer uma caçada na mata próxima.

Segundo a vítima José Alves de Araújo, “Lorão”, o acusado Parazinho chegou e entrou na casa juntamente com Neguinho, sendo que na sequência escutou barulhos de tiros no interior da residência, onde conseguiu visualizar “Gordinho” ao chão baleado.

Nisso, segundo a vítima que sobreviveu, Parazinho veio em sua direção e deferiu-lhe um tiro que acertou seu braço esquerdo, momento em que ele empreendeu fuga para a mata. Muito embora Parazinho e Neguinho tenham disparados outros tiros em sua direção e lhe procurado, ele conta que passou a noite perambulando pela mata e na manhã do dia seguinte conseguiu pedir socorro a um vizinho da fazenda.

Foi ai que a Policia Militar de Porto dos Gaúchos foi informada que a equipe da saúde estava indo socorrer uma vítima de arma de fogo na zona rural do município, e ao atenderem a ocorrência colheram relatos do próprio Lorão, que estava baleado de que o autor dos disparos contra ele era Parazinho e Neguinho, e que também teriam matado Gordinho.

Os policiais foram a fazenda e prenderam em flagrante Parazinho, que estava portando 02 revolver calibre 38 municiados. Interrogado, ele confessou o disparo efetuado contra a vítima Lorão, contudo, alegou que foi praticada em legítima defesa, uma vez que supostamente o Lorão estaria na posse de uma arma de fogo, sob o efeito de drogas e aduzindo que estava com vontade de dar-lhe um tiro.

Em relação a Gordinho, morto e esquartejada às margens do rio, Parazinho disse que retornou para a casa após a vítima Lorão ter fugido para a mata, momento em que Neguinho (que está foragido) disparou dois tiros contra Gordinho, terminando de mata-lo por ele ser muito perigoso.

Parazinho contou que passaram a noite na casa da fazenda, tendo a ideia na manhã seguinte, 21 de maio, de esquartejar o corpo de Gordinho e jogar no córrego que passa no fundo da propriedade. Então, amarraram o corpo na motocicleta, que foi arrastado até o córrego e esquartejado em vários pedaços.

Parazinho foi capturado pelos policiais militares na tarde do dia 21, após ter esquartejado Gordinho, já Neguinho fugiu, e os policiais encontraram na chegada a fazenda apenas uma caminhonete próxima ao riacho com os pertences dele.

Parazinho que está preso vai responder por homicídio doloso por motivo fútil e ocultação de cadáver. Neguinho que seria seu cunhado, está foragido e o delegado pede ajuda da população para localizar seu paradeiro.

O delegado solicita que caso alguém saiba do paradeiro de Ilson Rosa de Oliveira “Neguinho”, que seria da região de Itanhangá, que denuncie a Policia Civil ou Militar. Ele pede ainda que pessoas que tenham informação da identidade de Gordinho, que foi morto e esquartejado, que procure também a Polícia para que a vítima possa ser identificada.

O delegado Albertino agradeceu a participação de todos os Policiais e bombeiros envolvidos na operação.



 

Fonte: PORTO NOTICIAS
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
19/06/2019
18/06/2019
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2019 - Arinos Notícias