Bem vindo ao Arinos Notícias, Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019
Noticias
     
28 de Novembro, 2019 - 08:38
Antes de morrer, criança relatou ter sido atropelada por companheira da mãe; menino teve fêmur e costelas quebradas

Davi Gustavo Marques Souza, três anos, morto na última terça-feira (26), em Nova Marilândia (252 quilômetros de Cuiabá), relatou para testemunhas antes de sua morte que havia sido atropelado por Fabíola Pinheiro Bracelar, de 22 anos, companheira da sua mãe, Luana Marques Fernandes, 25. A criança, que teve fêmur e costelas quebradas, foi a óbito no pronto atendimento da cidade. A suspeita é que ela tenha sido espancada pelas duas suspeitas.


Conforme as informações da Polícia Militar, durante a confecção do boletim de ocorrências da morte da criança, duas testemunhas foram até a delegacia e relataram que o menino teria ficado com elas durante um período, quando relatou que a fratura que tinha no fêmur teria sido causada por Fabíola, em um atropelamento, quando ela teria prensado-o contra um portão.


 

Após este episódio, o menino teria sido levado para que o pai cuidasse dele. Em consulta com um médico em Cuiabá, este relatou que as lesões foram provocadas por atropelamento e não queda durante partida de futebol, como Fabíola havia alegado aos policiais militares após a sua prisão. O fêmur estava quebrado em vários locais.

 

Durante conversas com as testemunhas, o pai da criança também teria enviado fotos do menino com outras lesões, inclusive com costelas quebradas.

 

O caso

 

Luana Marques Fernandes, 25 anos e sua companheira, Fabíola Pinheiro Bracelar, de 22, foram presas na noite da última terça-feira (26), no bairro Planalto, em Nova Marilândia (252 quilômetros de Cuiabá), acusadas de matar uma criança de três anos espancada. Davi Gustavo Marques Souza, filho da primeira suspeita, estava com diversos hematomas pelo corpo. Testemunhas confirmaram as sessões de tortura.

 

Conforme as informações do boletim de ocorrências, a Polícia Militar foi acionada pelo secretário de Saúde da cidade, que informou sobre uma criança que foi levada pela companheira da mãe e que entrou em óbito. A mulher, após largar o menino na unidade, foi embora o abandonando.


Ciente da situação, a Polícia Militar foi até a unidade de saúde, onde foi confirmada a morte do menino. Posteriormente, a equipe localizou a Luana e Fabíola, sendo que as duas já estavam com malas e mochilas prontas, possivelmente com o intuito de fugir da cidade.


Denúncias anônimas confirmaram as agressões constantes à criança. Sendo assim, ambas foram encaminhadas para a delegacia, onde foi registrado o boletim de ocorrências por homicídio doloso, tortura, maus tratos e omissão.

Fonte: OLHAR DIRETO
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
13/12/2019
12/12/2019
11/12/2019
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2019 - Arinos Notícias