Bem vindo ao Arinos Notícias, Quarta-Feira, 26 de Fevereiro de 2020
noticias
     
11 de Fevereiro, 2020 - 16:10
Mochileiro mato-grossense chega ao Alasca depois de percurso de bicicleta e de carona

O mato-grossense Gabriel Dias da Silva conseguiu cumprir o objetivo de chegar ao Alasca. Ele chegou ao último país da América do Norte no sábado (8), após percorrer mais de 80 mil km em quase dois anos e meio e passar por 22 países.


O mochileiro, conhecido como 'Gabriel Viajou' nas redes sociais, começou a viajar em 24 de agosto de 2017 após sair de casa, em Brasnorte, a 580 km de Cuiabá.


Gabriel contou ao G1 que chegou ao Alasca no sábado e ficou isolado por dois dias, pois não passou nenhum motorista na estrada. Ele disse que andou cerca de 50 km a pé até encontrar alguém.


Gabriel Dias da Silva tem 26 anos e chegou no último país da América do Norte  — Foto: Gabriel Dias da Silva/Arquivo pessoal



Ele sempre teve vontade de viajar. O Alasca não era o destino principal, mas era o lugar mais longe que poderia ir em terra sentido a América do Norte.


Quando viajava de bicicleta, ele percorreu alguns países na América do Sul até a Venezuela e depois retornou ao Brasil por causa de problemas pessoais e recomeçou com caronas.


Foram em torno de 6 mil km de bicicleta e mais de 500 caronas ao longo da viagem.


Para pagar despesas com alimentação e hospedagem, ele fazia trabalhos voluntários e também ganhava comida de moradores dos locais onde passava.


Na época em que decidiu se afastar da empresa da qual era proprietário vendeu alguns pertences e, com R$ 3 mil e uma mochila contendo alguns alimentos e roupas, pegou a primeira carona na MT-170.


Gabriel era dono de uma empresa de produtos de informática. Também teve uma corretora de imóveis e uma distribuidora de cereais. Ele ainda contou que na fronteira com o Alasca ele teve que mentir que ainda era empresário para poder entrar no país.


A empresa dele está inativa desde quando começou o mochilão de viagem pelas Américas.


O que mais o impressionou durante toda a viagem foi a pobreza. Para ele, não existe um lugar que não tenha passado em que não se deparou com esse problema.


“Viajando por dois anos e passando por todos esses países eu percebi que a pobreza é impressionante. É muito triste ver as pessoas passando necessidade enquanto outras têm muitas coisas. E os Estados Unidos então, que todos pensam que não existe pobreza, há muito”, declarou Gabriel.



Foto tirada durante passagem pela Colômbia  — Foto: Gabriel Dias/ Arquivo pessoal


Questionado sobre o qual o próximo passo depois de conquistar o sonho, ele disse que não tenho visto de trabalho para fazer voluntariado em troca de hospedagem e alimentação. Gabriel disse que pretende fazer adesivos ou materiais com a história e registros da viagem para vender.


O viajante disse que durante todo esse tempo viajando, aprendeu que ‘loucura’ é não realizar sonhos. Entre as caronas, Gabriel andou de bicicleta, moto, carro e barco e sempre com uma mochila nas costas e gravando a viagem quando conseguia.


“Dizem que sou louco por estar fazendo essa viagem, mas digo que loucura é ir para o cemitério sem viver os seus sonhos. Eu era muito ansioso e vivia sempre no amanhã, agora eu vivo no presente. O presente é o único lugar que você pode ser realmente feliz. É uma coisa inexplicável, você não pode ser feliz no passado e nem no futuro, só no presente”, disse o mochileiro.


Gabriel conheceu vários lugares. Para se comunicar, ele utilizava a linguagem de sinais e aos poucos conseguia se comunicar.


O mochileiro disse que está em busca de patrocinadores para ajudá-lo a realizar a viagem pelo mundo e passando por um máximo de países possíveis. Nas andanças, Gabriel registrou com fotos e vídeos os vários lugares que passou, e alguns registros foram postados nas redes sociais dele.


As imagens, segundo Gabriel, foram tiradas com uma câmera simples e também com o próprio celular. Em 2016, ele viajou 100 mil km por 20 estados brasileiros de carro e em 2017 viajou de bicicleta e carona até o Alasca na América do Norte.


Gabriel passou pelo Uruguai, Argentina, Peru, Guiana Francesa, Suriname, Guiana Inglesa, Venezuela, Colômbia, Equador, Bolívia, Estados Unidos, Canadá, entre outros países do continente americano.

Fonte: G1 MT
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
24/02/2020
22/02/2020
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2020 - Arinos Notícias